Blog

Diagnóstico empresarial e inovação: entrevista com Tiago Wakiyama

Convidamos o gestor Tiago Wakiyama para falar sobre assuntos que envolvem desde a superação de desafios até a importância do diagnóstico empresarial para micro, pequenas e médias empresas.

Por Redesign Consultoria
21/10/2017

Superar um panorama pouco promissor é um desafio vivido por muitas micro, pequenas e médias empresas brasileiras. Não são poucas as que sofrem com as consequências de uma má administração e diversos fatores que acabam as obrigando a fechar as portas. Mas, felizmente, existem experiências que comprovam ser possível superar qualquer desafio com esforço, determinação e paciência.

O primeiro passo para uma empresa começar a mudar sua realidade é a realização de um diagnóstico empresarial. Esse é um check-up necessário para se conhecer exatamente seu ponto de origem, suas deficiências, suas oportunidades e, depois disso, começar a agir para corrigir, superar todos os problemas e seguir com mais engajamento, visão, inovação e direcionamento futuro. Eis o segredo para uma administração inovadora !

Para falar um pouco mais sobre esse assunto, pelo ponto de vista de alguém que efetivamente está à frente de uma empresa familiar que já passou por turbulências e hoje experimenta uma fase de crescimento muito bacana, convidamos o gestor Tiago Wakiyama*. Tiago é responsável por uma empresa de produção de ovos, a Ovos Mombuca, que tem plantas na cidade de Guatapará e Descalvado – São Paulo, e gentilmente nos cedeu uma entrevista. Veja a seguir!

 

Entrevista com Tiago Wakiyama

 

Redesign: Olá, Tiago. Estamos muito contentes por termos a oportunidade de conversar com você! Vamos começar falando sobre o início da sua atuação como gestor da Ovos Mombuca. Para contextualizar, nos anos 90 a empresa já era a maior produtora de ovos da cidade de Guatapará; porém, em 1995 ela quebrou. Quando você assumiu a gestão, a Ovos Mombuca enfrentava uma série de dificuldades (que incluíam desde processos legais à inatividade do fluxo do caixa). Nessa mesma época, um consultor do SEBRAE chegou a recomendar que você desistisse da empresa, pois “já estava tudo acabado”, certo? O que motivou você a não desistir?

Tiago:  Motivação maior foi acreditar no otimismo e na esperança depositada pelo meu pai no negócio. Por pior que estivesse a situação, havia sempre a visão de enxergar os 0,1ml de leite no copo da empresa… A minha mãe também foi um apoio fundamental para manter a estrutura emocional naquele momento muito turbulento.

De longe, parece que foi tudo homogêneo e limpo. Mas, da minha parte posso dizer que o dia a dia era muito estressante. Momentos de imaturidade profissional e pessoal ficavam em evidência a todo momento naquele ambiente conturbado e hostil. Era uma mistura muito complicada… Falta de noção e maturidade profissional com a empresa desmoronando.

Em muitos momentos não tinha ideia de qual seria o meu rumo ou destino. Foram longos 12 anos de prova de equações de mestres sendo resolvidas por um aluno recém iniciado ao ano letivo… O mesmo imagino que tenha sido tanto para a Cristiane, minha irmã, que contribuiu nesse momento de turbulência da empresa. Assim como o Lucas, que pegou a fase final desses anos de crise.

 

Redesign: Hoje o cenário é bem diferente. O faturamento da empresa aumentou 6 vezes nos últimos 5 anos. O que você destacaria como principal responsável por essa alavancagem?

Tiago:  Foram as pequenas conquistas que promoveram essa escalada rápida. Quando se passa num papel de retardatário por períodos significativos, o sentimento e o pensamento, desde que bem canalizados, não diferem daquele que lidera.

Existe o fator setorial que proporcionou um aumento de demanda e oportunidade. Pois o consumo per capita de ovos cresceu assustadoramente, nos últimos 10 anos. E, simplesmente, aproveitamos as oportunidades.

Mas, acredito que o maior fator foi a rápida absorção de experiência e know how do negócio. Quem aprende na dor, a tendência é sempre aprender mais rápido e melhor do que um teórico. Aprender fazendo é bom, agora, aprender no erro, proporciona um maior avanço no conhecimento.

 

Redesign: Hoje a Ovos Mombuca está passando por uma fase de expansão. O mercado mundial de produção de ovos tem mudado muito. Como você relacionaria isso com a necessidade de mudança de pensamento dos diretores da empresa?

Tiago:  O crescimento da empresa é antes de tudo mudança de atitude da diretoria. Que, por sua vez, instiga e inquieta os líderes, que, também chegam ao setor mais baixo da pirâmide do Recurso Humano. Essa sinergia provoca a mudança na empresa.

Ou seja, a cabeça pensante da empresa são os diretores, isso é um dos pontos de descrição inerente da atividade profissional. Se a empresa se torna obsoleta, é porque, previamente, houve a estagnação de um dos membros da empresa que faz essa função.

Concluindo, creio que a inquietação e busca constante de observação do fluxo de tendências e comportamento do consumidor e traduzir isso a uma resposta dentro da empresa cabe única e exclusivamente ao farol da empresa, que são os diretores.

 

Redesign: Sabemos que em meio a mudanças, os cenários competitivos estão muito dinâmicos e o diagnóstico empresarial é uma ferramenta importantíssima, principalmente para entender exatamente todos os pontos que uma empresa precisa desenvolver para ser melhor. Você buscou fazer essa análise assim que assumiu a empresa? Em que momento você decidiu buscar a consultoria da Redesign?

Tiago: No momento em que assumi a empresa, não estava buscando o desenvolvimento da empresa. Simplesmente, procurava o diagnóstico jurídico e financeiro para buscar a sobrevivência.

O contato com a Redesign foi no momento em que houve a necessidade, um incômodo, de enxergar a exigência do mercado no sentido de buscar mais performance e eficiência dentro da empresa. Nesse momento houve o desenvolvimento, que no porte de empresa familiar pequena, ainda extremamente concentrada no poder de decisão, ver a necessidade de descentralização diante do crescimento da empresa, e se deparar com despreparo para lidar com todo o processo de transição. Neste momento é muito importante fazer este diagnóstico empresarial e avaliar os cenários a todo momento.

 

Redesign: Você pode nos contar como foi (ou está sendo) sua experiência com a consultoria de transformação da Redesign?

Tiago: Foi muito positiva, a Redesign fez a visita in loco conhecendo as unidades de Descalvado e Guatapará. Conheceram todos os setores da empresa, líderes e colaboradores. Levantaram informações sobre pessoas, processos e situações desde a produção até os pontos de venda.

A sinergia de idéias e motivações foi muito forte desde o começo. O que mais me impressionou sobre a Redesign foi a rápida percepção do status da empresa com todos os pontos positivos, negativos, ameaças e oportunidades. Foi muito assertivo no seu diagnóstico final. E, além disso, houve um grande contato com os líderes da empresa, auxiliando no desenvolvimento e direcionamento numa espécie de “mentoria”.

 

Redesign: Sabemos que na correria da rotina muitas vezes não temos tempo, energia e nem capacidade de recolher e analisar dados de pessoas e situações. Ao mesmo tempo, muitos empreendedores sabem o quanto isto é importante quando pensamos em clientes, colaboradores, engajamento, comunicação, cultura empresarial, planejamento, posicionamento, direcionamentos e tomadas de decisão. Na sua opinião, qual foi o grande ganho de investir neste projeto com a Redesign buscando um novo olhar e inovação?

Tiago: Intuição é uma das ferramentas de direção de um empreendedor. Não é o único meio para se situar ou direcionar um caminho. Investir no projeto foi uma forma de ouvir uma terceira opinião, ter um olhar de fora, muito bem embasado e explicado por “A”+ “B” todas as possibilidades para inovações.

 

Redesign: Na sua opinião, existe alguma resistência maior dentro de uma empresa familiar para implementação de novas ideias, novas abordagens, em busca de mais resultados positivos? Você acredita que é possível manter uma essência tradicional na empresa e ainda assim inovar?

Tiago: Com certeza. A palavra para aliar a inovação com tradição é MATURIDADE. Até que ponto os diretores da empresa estudam o negócio? De acordo com a profundidade do discernimento do negócio, a palavra Tradição jamais confundirá com a palavra Inovação.

A resistência de mudança ou transição de liderança de pai para filho, sempre há alguns conflitos porque há falta de conhecimento das duas partes.

Pela parte mais experiente de não querer sair da zona do conforto ou acomodação, e, pela parte que assume a falta de experiência e relutância de escutar os mais velhos… Quando as duas partes respeitarem esse ímpeto agudo, cada um no seu ponto, ocorre uma harmonia e energia fantástica.

 

Redesign: Vamos falar de futuro? Com toda a sua experiência à frente da empresa, o que você considera um grande diferencial para os líderes de empresas nos próximos anos?

Tiago: Minha experiência é muito curta, ainda preciso aprender muito! Mas, já tenho uma crença muito forte em relação ao futuro da liderança ou um conceito de liderança muito claro. Não existe ou não se permite mais líderes céticos, pragmáticos, científicos radicais e polarizados só no aspecto material ou sendo muito materialistas (resultado, resultado e resultado)… A inteligência emocional e espiritual são tão importantes como a inteligência intelectual ou a razão. Não existe uma separação física entre pessoal e profissional, pois o holismo traz criatividade, engajamento e energia tanto para o ambiente empresarial como para o ambiente pessoal. Isso erradica o cinismo e a hipocrisia de relação líder e subordinado. Quando isso não existe, o crescimento é sustentável e aplicável tanto para vida profissional como para a vida pessoal.

Sempre digo que a atribuição número 1 do líder dentro da empresa é assumir o papel social antes de tudo na empresa. Ou seja, devemos sempre pensar no ser humano, antes de tudo, para direcionar o pensamento, sentimento, atitude e comportamento. Isso traz moralidade e ética na empresa, que, na maioria da vezes, não se aplica na vida pessoal do indivíduo. Devemos buscar ser, sempre, a luz de conhecimento nesses pontos.

 

Redesign: Que conselho você daria para um gestor que está passando por uma fase negativa ou de estagnação em seu negócio, onde o sentimento de frustração é constante?

Tiago: Frustração é um sentimento ruim ou bom? Penso que seja bom e positivo, porque algo está dizendo que precisa ser mudado. É uma oportunidade muito boa e única de canalizar e tentar entender o melhor direcionamento para dar o passo número 2, depois da frustração, que é a AÇÃO!

O que a maioria das pessoas fazem é encarar como negativo e direcionar para o DESÂNIMO ou ESTAGNAÇÃO.

Ou seja, a frustração é um sentimento passageiro na vida do ser humano, ela não pode se apoderar por muito tempo. Mas a maçã não cai no colo…. Precisamos subir na árvore, despender esforço para tirá-lo do galho.

 

*Tiago Wakiyama – Tem 36 anos e é formado em Direito pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). Assumiu a empresa Ovos Mombuca aos 19 anos, e hoje já possui 17 anos dedicados à empresa.

 

Ovos Mombuca

 

A Ovos Mombuca é uma empresa familiar fundada em 1976 por imigrantes japoneses. Seu fundador, Kensuke Wakiyama (pai de Tiago), nasceu no Japão e veio com sua família para o Brasil. Inicialmente a família migrou com o objetivo de desenvolver a agricultura de arroz no país, mas, como o projeto não deu certo para os produtores, Kensuke Wakiyama passou a investir em produção de ovos após seu casamento.

Se quiser saber mais sobre a Ovos Mombuca, confira o perfil no Facebook.

 

Ovos Mombuca

 

Ovos Mombuca

Compartilhar:

Facebook Twitter LinkedIn G+